quinta-feira, 13 de abril de 2017

A freguesia da Vitória (nas memórias paroquiais) - parte 2

Prossigo com o ressuscitar de velhas memórias através das memórias paroquiais de 1758, referentes à freguesia da Vitória. E conforme as vou relendo, mais vou reaprendendo... Este blogue dá por vezes algum trabalho... mas a satisfação que tiro da leitura destes velhos documentos e o prazer tirado da partilha da informação neles contida, em muito o supera!

Uma nota apenas: desta vez decidi usar títulos. Estes são meus, não provêm do documento original ,que se limita a numerar as respostas às perguntas.

//

MOSTEIRO DE S. BENTO DA VITORIA
…nesta freguezia há hum convento denominado Saõ Bento da Victoria, cujo patrono he o patriarca Saõ Bento, e naõ tem padroeiro secular, o qual foi fundado no anno de 1598 e está situado em hum ameno sitio da cidade, e muito a enobreSe, ainda q a descripçaõ delle pode ver nos doutores chronistas desta sagrada, e antiga religião. He tam egregio e magnifico, que serviria de illustre ornamento a qual quer outra cidade, porq he quadrado com eminente e aprazivel vista do caudaloso rio Douro, de formoza architectura, e abobedas de pedra lavrada, com as mais officinas correspondentes que depois de visto concilia a admiraçaõ da arte. He este o mais famozo naõ só da cidade, mas da provincia interamense, e nelle se veneraõ as milhores imagens do do desterro de Jezus, Maria, e Joze quando voltaraõ do Egyto…


CONVENTO DE S. JOÃO NOVO
Tem mais esta freguezia o convento dos religiozos eremitas de S. Agostinho… o qual he de igual grandeza, e perfeiçaõ de arte, ao de S. Bento aSima referido, e em milhor sitio, e vista do rio Douro, por estar sobre suas margens. Neste convento se venera com grande devoçaõ a imagem de Nossa Senhora da Guia por se avaliar ser a mais bem acabada daquellas, que ha nesta cidade, a qual foi feita pello insigne [1] Manuel de Almeyda natural da mesma cidade…


HOSPITAL DOS TERCEIROS DE S. FRANCISCO
… na rua da Ferraria de Baixo desta freguezia, ha hum Hospital, que serve de curar as infermidades dos irmaõs terceiros de S. Francisco, q adoecem e naõ tem com que curarse em suas cazas. Principou esta obra em 28 de abril de 1734; e por ser obra magnifica durou the o anno de 1743; q foi o primeiro anno em q pera o dito hospital entraraõ os doentes, o q foi no dia primeiro de septembro do dito anno de 1743. Pera esta obra muitas pessoas deixaraõ suas esmolas…


CAPELA DE NOSSA SENHORA DA SILVA
…na rua da Ferraria de Sima desta freguezia, que antigamente se chamava de Rua da Lage, está situado o hospital de S. Joaõ baptista, cujaz cazas se comunicaõ com outras da Rua de Traz da mesma Ferraria: he antigo, e da admenistraçaõ hoje dos confrades de Nossa Senhora da Silva da cathedral da Sé q sendo a mayor parte ferreiroz, quando estes morrem pobres, suas molheres viuvas saõ alimentadas no dito hospital, e unidose todos os hospitais com o que admenistra a Santa Caza da Mizericordia desta cidade, por aSim o ordenar o Senhor Rey D. Joaõ 3 pera serem admenistrados pellos irmaos da caza da Mizericordia; este por naõ ter rendas, e ser governado pella Camera da cidade, naõ entrou na dita uniaõ, e disposiçaõ…
A sua origem he muito antiga, porq conforme alguns antiguarios q trataõ desta cidade dizem, q este hospital fora de molheres recluzas ou emparedadas a quem deixou vinte libras de esmolla em seu testamento o bispo della D. Sancho Pires, q foi dez o anno de Nosso Senhor Jezu christo 1296 the o anno de 1300 e que neste sitio viviaõ, e naõ em S. Nicolau, que esta da outra banda do Douro como dis huá nota a margem do Censual do Cabido…
A este dito hospital se uniraõ o de S. Catherina e de Santiago, q estavaõ situados na Reboleira freguezia de S. Nicolau desta mesma cidade; cuja uniaõ foi em 5 de novembro de 1685, sendo que antes desta uniaõ existiraõ algum tempo no rocio de S. joaó novo, que foi des a era de 1682 the o anno de 1685 e as cauzas destas mudanças, foi em rezaõ de ser o sitio da Reboleira, em q estavaõ os dois hospitais de S. Caterina e Santiago, necessario pera se fazer a igreja parochial de S. Nicolau… [2]



CAPELA DE S. JOSE DAS TAIPAS
…esta freguezia tem duas capellas: a saber, hua de S. Joze da Rua das Taipas q foi feita por Joze Pacheco Pereira, haverá noventa annos: nella se venera como Padroeiro a imagem de S. Joze, q se julga ser huá das mais perfeitas imagens da cidade, e se acha colocada no altar mor. Tem mais dois altares colaterais: o da parte da Epistola dedicado a Nossa Senhora da Soledade e o da parte do Evangelho dedicado á Nossa Senhora com o titulo da Devina Providencia. Esta capella no seu tanto he perfeita e de prezente nella se fazem todos os ministerios e funçois parochiais e festas por estar servindo de parochia por cauza da ruina da parrochial igreja, e somente nella se naõ fazem os officios da semana santa, por naõ ter a capella o espaço necessario pera elles se fazerem com o esplendor com q sempre se fizeraõ…na igreja principal e ham de continuar, reedeficada q seja…


CAPELA DE SANTO ANTONIO
Tem mais outra cappella dedicada a S. Antonio defronte das cadeas da Rellaçaõ, e serve de se dizer missa pera os prezos ouvirem aos domingos, e dias santos e consta ser feita pello dito Joze Pacheco Pereira q tambem fes a de S. Joze aSima mencionada.

 … esta freguesia naõ tem fructos, por ser toda povoada de cazas, e naõ haver onde se cultivem.

…  a principal parte da nobreza desta florente cidade mora e aSiste nesta freguezia aonde há mais oratorios, em q se dis missa privada, do que nas mais freguezias, e por se compor dos mais altos e amenos bairros, ficarem junto da Rellaçaõ, regularmente nella vivem os ministros do Dezembargo cujos filhos tem sobido aos lugares eminemtes de letras…

… esta freguezia naõ tem feira alguá franca, ou cativa.

… esta freguezia se serve do correyo geral desta cidade, o qual chega na sesta feira de cada semana, e parte ao domingo.


CHAFARIZ DO OLIVAL
… nesta freguezia há dois chafrizes, os melhores, e mais elevados, q há em toda esta cidade. Hum sito na praça da Rua da Porta do Olival, que lança agoa perenne, he o mais elevado chafaris da cidade, deitando agoa que lhe vem da arca de Paranhos em distancia de mais de meya legoa, em beneficio dos moradores da dita rua, em tal forma que no primeiro capitel a lança por coatro bicas, q se recolhem na primeira vaze, q he de ordinaria grandeza, e deste se expelle por outras coatro bicas q cahem na segunda vaze, a qual he de extremosa grandeza, q cauza admiraçaõ a todos aquelles q bem a examinam, como podesse ser trazida aquelle sitio tam grande pedra, e desta correm coatro bicas de que se aproveitaõ os moradores e toda a mais cidade; e he em tanta abundancia o aqueducto desta agoa, que somente deste chafaris se reparte pera varias parte; como he pera os prezos da Rellaçaõ desta freguezia, e da mesma agoa se recorrem os religiozos de S. Antonio de Valle da Piedade pera o seu Hospicio sito na Cordoaria Nova, e os religiozos do mosteiro de S. Bento já mencionado, e hospital geral desta cidade, e tambem do mesmo aqueducto vem dar ao chafariz do Postigo das Virtudes, que milhor se lhe pode chamar porta pella grandeza, e largura corre este chafaris perennemente no seu elevado capitel por coatro bicas, cuja agoa recebe huã excellente e primoroza taça, e desta sahe por duaz bicas, q recebem duas taças de conxa primorozamente lavradas, e destas passa a outras da mesma perfeiçaõ, e de muito mayor grandeza, destas passa a dita agoa a comunicarsse ao povo. He (sic) de estimavel grandeza, e primoroza architetura aSim na altura, como na perfeiçam do seu lavrado por ser obra moderna, porquanto da parte do nascente se acham escriptas em conta as palavras, ou letras seguintes. = 1750 = e da parte do poente se lé a inscripçaõ seguinte=
Hanc molem extrixit, populo auxiliante, Senatus,
Una ergo ex duplici fonte perennat aqua.

A seta amarela indica a Torre dos Clérigos e a elipse verde o chafariz do Olival aqui descrito. Este seria provavelmente do mesmo tipo do que existiu em S. Domingos (compare-se com o chafariz do Terreiro, em Caminha, obra das mesmas mãos do portuense do largo de S. Domingos)
//

_____
[1] - confesso que não consigo ler o primeiro nome sem ficar com grande dúvida
[2] - Escritura de Outubro de 1684

Sem comentários:

Enviar um comentário