terça-feira, 19 de abril de 2016

Todos os caminhos... levam a Cima do Muro

O título para esta postagem...light, vem de uma notícia do JORNAL DO PORTO de 15 de Agosto de 1871, sobre um pequeno acontecimento que ocorrera dois dias antes. Uma "notícia" aliás, quase irrelevante para a história da cidade, mas que se torna pitoresca pela sua curiosidade.

NOTA: Leve o leitor em conta que nesta altura andava em construção a rua Nova da Alfândega e o arco da Porta Nobre iria ser dentro de dias demolido, pelo que a paisagem ao redor não seria propriamente a que se vê na imagem abaixo...

Mas sem mais delonga, segue a notícia:

Ante-ontem, ao cair da noite, voltavam da Foz quatro cavalerias da guarda municipal, e chegavam à Porta Nobre quando já a vozeria dos barqueiros lhes anunciava que tinham de retroceder até à Restauração, por causa do tapume que obstrue o arco.
Quando os cavaleiros conheceram o engano, já a vozeria era estrepitosa e acerada de motejos desta laia:
    - Para trás!
    - É tornar pela Restauração!
    - É ter paciência!
Os cavalerias, de repente, como se se tivessem passado palavra, cravam os acicates nos cavalos e arremetem denodadamente contra as escadas de Cima do Muro.
    Num momento desapareceram cavalos, e cavaleiros deante da multidão que, de motejadora, ficou boquiaberta.

Sem comentários:

Enviar um comentário