segunda-feira, 28 de julho de 2014

Uma curiosidade

Dado o foco de atenção que tenho no antigo convento dominicano do Porto (por motivos que não cabem neste blogue) e do qual atualmente pouco resta sendo a sua face mais visível o atual "Palácio das Artes" (também conhecido como "Edifício Douro"), não pude deixar de reparar na empena ou frontão, que fecham a sua platibanda, por cima da porta principal.

Nela surgem como que uns discos, em número de 7; decoração com certeza ali colocada pelo Banco de Portugal, como o atestam fotografias do início do século XX. Não podem ser, isso é certo, de época do convento, pois como se pode constatar através do desenho de Villa Nova, o edifício nem platibanda tinha (além de muitas outras modificações exteriores que o Banco lhe fez...)


Ora o título que dei a esta postagem, tem que ver com o que reparei não há muitos dias, num edifício já fora do Porto antigo, colocado no alto do monte que leva ao Marquês, na esquina com a Rua de Santa Catarina (que naquele local já teve o lindo nome de Rua Bela da Princesa), à entrada da Rua Latino Coelho, mais precisamente no edifício que pertence ao Colégio Nossa Senhora da Paz. Portanto numa zona ainda relativamente pouco urbanizada até finais do século XIX.

É que, por debaixo da varanda que o edifício apresenta (na sua parte mais antiga, à entrada da rua) existe uma pedra que suporta a mesma varanda e que exibe um padrão muito similar com o acima descrito, se bem que mais "discreto", com apenas 5 discos, faltando um para cada lado.


É curiosa a repetição do motivo, e para mim, mero leigo, apenas posso adiantar teorias... terão as duas pedras vindo da mesma oficina de pedreiro? Terá aquele símbolo um qualquer significado que desconhece o cidadão comum do nosso tempo? Terá o mestre que esculpiu a mais recente gostado do motivo e reproduzido na sua obra? Terá o edifício do Marquês pertencido algum dia ao Banco de Portugal?

Apelo aos que gostam da história do Porto e aos aficionados da história da arquitetura a esclarecerem ou transmitirem dados/opiniões que possam levar a um esclarecimento desta insignificante questão, que deixou o autor deste blogue tremendamente curioso.

1 comentário:

  1. Na pagina do Colegio Nossa Senhora da Paz é referido que alugaram essas instalações em 1925 (mais tarde compradas), pelo que é bem provavel que fossem anteriormente utilizadas pelo Banco de Portugal, que por volta dessa altura se mudou para os Aliados. Atendendo a que no Largo de s. Domingos as instalações eram diminutas, comparando com as dos Aliados, pode-se pressupor que o BP tivesse outras instalações espalhadas pela cidade. E que delas se tenha desfeito aquando da mudança. Os «discos» poderão simbolizar moedas ou algo do género.

    ResponderEliminar