terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

As primeiras praças de touros no Porto (II)

Continuando o relato da inauguração das primeiras praças de touros permanentes do Porto em 1870, ficamos agora com alguns apontamentos noticiosos sobre a primeira delas, a da Boavista, inaugurada umas semanas antes da da Aguardente.

A fonte é, como sempre, o Commércio do Porto, nesta notícia temos a chegada do gado que iria ser corrido:

22 de Março
"Ante-ontem à noute atravessou a cidade o gado que vem para ser corrido na [inauguração] da praça de touros da Boavista.
A manada compunha-se ao todo de 22 cabeças, entrando neste número 4 chocas. É portanto de 18 o número de touros que tem de entrar nesta corrida(1).
Informam-nos que são dos campos de Tentúgal, das manadas pertencentes aos lavradores os Srs. Bento Pena e Francisco Maria Correia Soares e Brito.
Alguns amadores e outras pessoas foram esperar o gado.
Os proprietários do circo tencionam dar a primeira corrida de touros na próxima 6ª feira.
Chegou também ao Porto o gosto por este bárbaro divertimento. E foi tão intenso este acesso de paixão tauromática, que, em vez de um circo, se levantaram logo dous, para adoçar os costumes do povo com estes espectáculos de sangue.
Ò civilização, repugnante seria o teu destino, se fosses isto!"

O gado ficava guardado nos campos pertencentes ao lavradores da zona da Foz enquanto esperava para ser corrido. Tratam-se, provavelmente, de terrenos hoje ocupados pela "Foz nova" e Nevogilde e poente da Avenida da Boavista, que nessa altura não tinha a extensão que hoje lhe conhecemos.

Como facto curioso (pelo menos para o leigo autor destas linhas) aqui fica uma outra notícia, do mesmo jornal, onde se dá a conhecer como foi atribuído o alvará da Praça de Touros da Boavista:

24 de Março
"Pelo governo civil foi passado o competente alvará de licença ao empresário da praça de touros na rua da Boavista para dar espectáculos na mencionada praça.
O empresário obrigou-se a depositar no governo civil 30$000 réis PARA QUALQUER ESTABELECIMENTO DE BENEFICÊNCIA em seguida a CADA CORRIDA que ali tenha lugar, sendo com esta clausula que lhe foi concedida a licença"
(As maiúsculas foram propositadamente usadas por mim)

Será que actualmente este género de situações ainda se passam?


(1) Na verdade este número de touros repartiu-se por corridas que tiveram lugar nos dias subsequentes à inauguração da Praça.

Sem comentários:

Enviar um comentário