domingo, 15 de novembro de 2009

Apontamentos para a história da Rua Nova da Alfândega

Notícias coligidas do Jornal O Comércio do Porto de 1871, sendo breves mas interessantes para a história desta rua.

Desmoronamento (28 Fevereiro)
Pelas 2 horas da manhã de ontem desmoronou-se parte do muro de suporte de algumas casas do Forno Velho, que deitam para a nova rua da Alfândega. O estrondo foi grande assustando bastantes pessoas.
Não houve desgraça alguma e ontem já os operários da Exma. Câmara trataram de fazer as obras necessárias para que as casas que estão superiores nada sofram com a falta de apoio que lhes causou o desmoronamento.

Arrematação de materiais (26 Abril)
No dia 2 do próximo mês terá lugar a arrematação de todos os materiais, excepto a pedra, das casas sitas na rua da Ferraria(1) com os números 6 e 8, 10, 12, 14 e 16, 18 e 20, 22, 24, 26, 28, 30 e 32 e da casa da rua de S. Francisco nº 71, 73 que têm de ser demolidas para a abertura da rua da nova Alfândega.
A arrematação verificar-se-há no próprio local dos prédios.

Cais da Porta Nobre (26 de Abril)
Principiaram os estudos para o cais que deve ligar a alfândega de Miragaia com a Porta Nobre (...)

Rua da nova Alfândega (1 Março)
Já principiaram os trabalhos por parte da respectiva comissão, para as expropriações dos prédios da rua do Forno Velho de Baixo, que têm de ser demolidos para a abertura da rua da nova Alfândega. Segundo nos informaram, alguns casos já estão ajustados.
As obras na rua continuam com actividade e o aqueduto(2) que se anda a construir, e que deve desaguar na Porta Nobre, está muito adiantado.
Continua a demolição de alguns prédios na antiga rua dos Banhos, do lado de Cima do Muro, e no grupo de casas denominadas de São Francisco apenas falta demolir completamente a que pertenceu ao Sr. Conde de Azambuja. Esta, porém, está já mais de metade demolida.

Arrematação de materiais (3 Maio)
Conforme estava anunciado procedeu-se ontem de manhã à arrematação dos materiais, excepto a pedra, das casas que tem de ser demolidas para a abertura da rua da nova Alfândega, sitas na rua da Ferraria, Reguinho e São Francisco (...)


_________
(1) Actual Rua do Comércio do Porto
(2) Será este o aqueduto que encanou o rio Frio? É que, me parece, o jornal entende como Porta Nobre o lugar e não propriamente a dita porta. Aliás, ainda hoje temos na Rua Nova da Alfândega uma mercearia denominada Porta Nova - nome pela qual também era conhecida esta abertura na muralha fernandina - que se encontra sensivelmente no local original da Porta (se bem que a uma cota superior)

2 comentários:

  1. Nao posso deixar de agradecer e dar-lhe os parabens por este excelente blog. Eu estava a procura de informacao da Rua da Nova Alfandega e acabei por encontrar um surpreendente recurso para conhecer melhor a antiga cidade do Porto.
    Onde consegue todas estas imagens e informacoes? Ando ha muito a procura do espolio do Comercio do Porto, por conta de um naufragio de um patacho que o meu trisavo capitaneava mas nao tenho tido sorte. Mais uma vez parabens.

    ResponderEliminar
  2. Bem na verdade, já anda à algum tempo a pesquisar, sempre aos sábados, o jornal O Comércio do Porto - sem dúvida o melhor jornal portuense à época - onde me concentro sobretudo naquela década que modificou a cidade antiga por completo, nos anos 70 do século XIX.
    É uma questão de paciência e de ir desfolhando sempre à procura de (para mim) autênticas pérolas! ;)

    ResponderEliminar