sábado, 24 de outubro de 2009

Lago no largo dos Loios

Quem diria que já existiu um lago no pequeno largo dos Lóios? Pois foi o que descobri lendo respostas a uma pergunta colocada na revista O TRIPEIRO, na sua primeira série:

«Existiu, na verdade, há muitos anos, mas por pouco tempo, um pequeno lago no meio do Largo dos Lóios.
Era circular, quase com o dobro do diâmetro do refúgio que, a circundar a base do poste da iluminação eléctrica, hoje [1926] lá se encontra, e apenas tinha a resguardá-lo, sem qualquer relvado, uma grade igual à que cerca o lago do jardim da Cordoaria.
Da parte de cima, o rebordo do lago ficava ao nível do pavimento, mas, do lado oposto, como o largo forma declive, tinha uma altura tão grande e de tão péssimo efeito, que principiaram a chamar-lhe o Alguidar dos Lóios, e certo é que... com a mesma rapidez que foi feito, assim foi desfeito.
Suponho que não deixou saudades a ninguém!»

Alberto Augusto Guedes Vaz, in O Tripeiro, 3ª Série, nº7 (127) - 1 de Abril de 1926
O largo dos Lóios na atualidade (foto de https://commons.wikimedia.org/)
Num outro registo, no número anterior a este surge:

«(...) Diziam que era utilizado pelos moradores para demolhar o bacalhau das Sextas-Feiras. Outros aventavam ser bacia para lavar os pés dos vereadores que perto moravam(...)
Não era lago, era um lagozinho, inferior em diâmetro a um dos actuais refúgios da Praça da Liberdade (..)»

Enfim, parece ter sido uma obra de embelezamento de vida efémera, que não terá deixado saudades a ninguém...

Sem comentários:

Enviar um comentário